Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

REGRESSO

 

Não resisto a voltar. Ele há tanta coisa irritante à minha volta que é difícil seleccionar . Por que ponta pegar? Aí vai uma.

Como disse o inacreditável Guterres se “estamos à beira do suicídio colectivo”. Talvez não seja mau começar por aí, antes da antes que tal morte sobrevenha. Falando de coisas sérias, o que se passa é que já se tornou herético, sob pena dos maiores insultos, denunciar o terror global em que os adeptos do governo universal – também eles universais – nos vêm mergulhando.

O planeta já aqueceu e arrefeceu vezes sem conta. Desta vez, diz-se, está a aquecer. Não confirmo nem desminto. Só que, para a “ciência”, não só está a aquecer como tal fenómeno se deve à humanidade. A ciência, diz-se e aceita-se, is setled. Tal assumpção é, em si mesma, a negação da ciência propriamente dita. A ciência nunca estará setled, senão ainda estávamos na idade dos metais. Houve aquecimentos e arrefecimentos da Terra, com mais CO2 menos CO2, mais humanidade ou menos humanidade. Recomendo, por exemplo, um livro de um senhor Koonin, uma espécie de ministro da ciência do tempo do Obama. A obra chama-se Unsetled, o que diz tudo.

Mas a humanidade é dominada por arautos da desgraça, pela propaganda de cientistas do calibre de uma taradinha sueca - com assento na ONU e fama universal - que é o seu símbolo vivo. Daí, triliões de dólares gastos, e ganhos, em “direitos de carbono” e outras artes ao dinheiro. A ruina económica a troco de ilusões e parvoíces.

O IRRITADO aceita que se prepare o mundo para se tornar menos dependente de energias fósseis. Por causa do CO, não do CO2. Isso devia resultar numa cruzada universal pela energia nuclear, a única que, sendo “limpa” e “verde”, é produtiva e mais barata. Os mesmos que gritam pela descarbonização são os primeiros a adorar as energias intermitentes, caríssimas e pouco produtivas, e a condenar o nuclear. O meu país, para meu desgosto, é dos primeiros a andar em tal senda, estando à vista os resultados do “Maria vai com as outras”, e mais do que com as outras.

A destruição global da economia, via custos insuportáveis, dívidas gigantescas e fomes galopantes, é incentivada por cientistas e políticos cheios de certezas e ilusões. Nas energias, na agricultura, em tudo. Isto sem entrar em teorias da conspiração ou utopias mais ou menos paranoicas.

*

Vem isto a propósito dos meninos e meninas que andam nas ruas e nas escolas a brandir slogans sobre o aquecimento global. Que tristeza! É o politicamente correcto no auge da resplendência.  É a ilusão e a estupidificação da juventude, com gáudio e incentivo das outras gerações, atacadas pelo mesmo vírus.

Já sei que vou ser insultado por muita gente. Adjectivos não faltarão. Que este regresso, pelo menos, sirva para tal.

*

NB. Muito brigado aos que me incentivaram a voltar. Espero que se não arrependam, e que eu não deixe de estar “quente”.

 

13.11.22

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub