Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

UMA FARTURA

Nada menos que dezoito é o número de câmaras municipais - parece que onze do PSD e sete do PS - que estão à pega devido a um esquema qualquer aplicado ao aluguer de camionetas. A polícia não faz a coisa por menos. Tudo ao molho, uma fartura.

Parece que há uns piores que outros. São cinco, um do PSD, os outros não sei. Para o comum dos mortais, segundo as informações disponíveis, deve tratar-se de um bando de mafiosos que se apoderaram do chamado poder local para se encher de dinheiro. Faziam compras sem concurso (“procedimento concursal”, em novilíngua), tudo à pala de ajustes directos, somando já uma data de milhões, só nos últimos dez anos. Ainda ninguém fez as contas de quanto isso representa ao ano, nem dividiu o resultado por dezoito, o que deixa no ar uma série de dúvidas. A lista dos crimes é vasta, ainda que falte acrescentar os de violência doméstca, tráfico de drogas e outros da moda.

Uma coisa há que me põe de sobreaviso sobre a verdadeira natureza desta história. Os mesmos jornais que sublinham os montantes vezes sem conta, dando ideia de uma monstruosa trafulhice, dizem em letra miudinha que a empresa privilegiada pelos suspeitos “esmagava os preços da concorrência”.  Parece que os autarcas em causa são suspeitos de escolher o preço mais barato sem prejuízo do bom serviço.

Onde estará a verdade no meio disto tudo?

 

14.6.19

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    outro anónimo 14.06.2019

    O Bastos leu "sobre o caso apenas por alto", não faz mal que o "por alto" seja sempre insuficiente para se formar qualquer tipo de opinião válida seja sobre que assunto for já que o que interessa mesmo é o haver mais uma oportunidade de dar asas à imaginação, engendrar teorias e destilar a sua habitual má vontade contra tudo e todos.

    Outros veriam no texto do Irritado uma dica sobre o assunto e optariam por investigar mais, saber da sua veracidade por outros meios e ver o que mais se poderá estar a passar mas o Bastos não, ao Bastos basta-lhe o nada que sabe sobre o assunto. Espectáculo!

    Um pouco de prudência e reflexão fica-nos sempre bem.
  • Sem imagem de perfil

    Filipe Bastos 15.06.2019

    Tem razão, convém sempre saber do que se fala. Em condições normais, teria feito uma pesquisa na imprensa nacional e estrangeira, analisado cada pista e cada interveniente, e elaborado um relatório.
    Depois teria ido investigar in situ a Transdev, em Famalicão, as câmaras de Almeida, Armamar, Braga, Fundão, Guarda, Oleiros, Pinhel, Sertã e Tarouca (PSD), e as de Belmonte, Barcelos, Cinfães, Lamego, Oliveira de Azeméis, Moimenta da Beira e Soure (PS), analisado os documentos do processo, e 'hackado' os computadores das câmaras e dos funcionários.
    De posse desta informação, poderia confrontá-la com escutas aos suspeitos, respectivos associados e familiares directos, e com o histórico dos seus operadores móveis, além dos seus ISP, para chegar a uma opinião válida.

    Isto em condições normais. Infelizmente, tinha umas visitas lá em casa e não houve tempo.
    Por isso engendrei as velhas teorias da pulhítica, dos corruptos, das almoçaradas e negociatas, do vamos-aproveitar-quisto-é-tudo-nosso, do são-todos-a-mesma-trampa, dos 40-anos-de-bandalheira-impune, enfim, dei asas à imaginação.
    Esta má vontade, esta negatividade constante, contrasta com a prudente reflexão do anónimo: este caso pode ser inocente; o poder local não é um bando de mafiosos em conluio com trafulhas, empreiteiros e sucateiros; Portugal não está a saque por uma classe de pulhas impunes. Não podemos generalizar. Sobretudo não devemos ser indelicados.
    É de mau tom chamar bois aos bois; é feio sequer mencionar os bois. Sejamos amenos, discretos, timoratos.
    Obrigado pela chamada de atenção. Vou ter mais cuidado.
  • Sem imagem de perfil

    XXI 15.06.2019

    Gosto deste comentário pela fina ironia.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    O autor

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D